CroPoesias – Poesias, Crônicas e Contos

Hiroshima – poesia

Hiroshima

Hiroshima é uma cidade que se tornou página negra na história universal pela tragédia que a assolou. A bomba atômica lançada pelos americanos inseriu-a na esfera de terror que envolve qualquer holocausto nuclear que se possa imaginar. E os efeitos dessa tragédia mesmo o tempo não conseguirá apagar.

Hiroshima

Nas trevas de Alamagordo nascia por dentro da madrugada

No silêncio e na friagem do deserto a filha da morte

Que por ironia seria Little Boy, bomba degenerada

Que por mil sóis se fez claridade de porte

Arma desumana criada para degolar a longa guerra

Hiroshima foi a escolhida, bela e pacífica cidade

Que com sua dor e infortúnio, o litígio se encerra

Marcando a história mundial por ato de insanidade

Em 06 de agosto de 1945 a singela cidade entraria para a história

Entre todas de maneira amarga e desonrosa

Sua devastação na guerra mudaria a trajetória

De contenda tão vil e indecorosa

Ela seria a primeira do mundo a sofrer um ataque atômico

Da longa guerra seria bandeira vergonhosa

Recebendo em seu coração, odioso artefato anômico

Na limpidez do céu nipônico surgiu o arauto

A nave-mãe Enola Gay abriu o ventre de aço

Liberando seu filho para a destruição do povo incauto

O “Garotinho” mergulhou para o espaço

Explodindo a 500 metros de altura, disseminando fogo e desintegração

Maldito seja cogumelo da morte, sumo da bomba criada pela mão maligna

Incinerando centenas de milhares de pessoas sem defesa ou salvação

Arma feita de aço, fios e explosivos, invenção indigna

Que queimou pessoas vivas, pobres seres que não tinha a quem recorrer

Casas, prédios e hospitais foram totalmente destruídos

O que restou parecia que inevitavelmente ia morrer

Os mortos jaziam nas ruas e os vivos, da vida achavam que seria destituídos

Por todo lado o forte e repugnante cheiro que evolava

Era o odor da morte, da violência e da desumanidade

Da bela e bonita cidade mais nada restava

Apenas uma imensa e inenarrável agonia em profundidade

O fogo abrasador a tudo consumiu

Não somente milhares de pessoas e edificações

Mas a dignidade, o amor e a vida que ruiu

Extinguiram-se projetos de vida, amores e paixões

Os sobreviventes da maior catástrofe da história

Trazem não somente marcas físicas, mas principalmente

Psicológicas, estigmas que não representam nenhuma glória

Mas um padecimento, uma dor que lhes será recorrente

O holocausto sofrido por Hiroshima será negra página

Na memória da humanidade e particularmente dos sobreviventes

Que vivenciaram o maior dos pecados, que ninguém imagina

De morrerem por terríveis ondas de radiação e chamas ardentes

Robert Thomaz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.