CroPoesias – Poesias, Crônicas e Contos

Eu quero minha vida de volta! – poesia

eu quero

VISITE MEU

O maior dos erros cometidos pelo ser humano foi perpetrado por Eva. Ela deixou-se enganar por Lúcifer em forma de cobra e acabou enterrando a humanidade numa maldição que somente terminará com a inegável volta de Jesus Cristo.

Devido a esse erro, somos todos pecadores, andamos afastados da Palavra de Deus, uns mais e outros menos, mas independente de nossa boa e forte vontade, o pecado está na carne, na maldição que incorporamos desde que Adão e Eva comeram o fruto proibido, da árvore do conhecimento do bem e do mal.

Com esse ato simples, o comer de um fruto, foi o suficiente para que o pecado nos caísse nos ombros como maldição e nele estava inserida a nossa morte física, carnal. Eu quero a minha vida de volta… é uma expressão carregada de justiça, de desejo e anseio, que todos temos ecoando em nossos corações.

Eu quero minha vida de volta!

Foi num tempo fora do nosso que Eva agiu levianamente

Cedeu a falsidade de Lúcifer e comeu do fruto proibido

Ato que nos condenou a terrível maldição, infelizmente

Da morte, e por este ato o primeiro homem foi banido

 

Do doce Paraíso, nosso berço natal, um lugar livre e puro

Do pecado original, maldição que até hoje eu carrego

No caminhar de minha vida, vida sofrida porque sou impuro

Pecador que agora está mergulhado na fé, que não renego

 

Maldito sejas tu Satanás por ter-me condenado à morte

Por ter colocado o pecado em minha carne e pensamentos

Por eu ser condenado desde o ventre de minha mãe à má sorte

Por pecar contra minha vontade, por viver em dores e tormentos

 

Eu quero minha vida de volta! Príncipe horrendo da desgraça

Que ri de meus pecados e ofensas, atos contrários ao meu querer

Eu quero minha vida de volta! E somente Jesus pode me dar essa graça

Sendo tão pecador, e como suplico a Deus para me tirar desse sofrer

 

Eu quero voltar a ser feliz, a ser livre das ofensas, das iniquidades

E graças à multidão de misericórdias de meu amado Pai Celestial

E de Jesus, meu Salvador, tenho a chance de ficar livre das tempestades

Eu quero voltar ao Paraíso, a ter vida eterna, a ser digno do Reino Celestial

 

Em súplica, dobro meus joelhos e confesso-me pecador, e peço perdão

Ao Príncipe da Paz, ao meu Salvador que na cruz deixou-me imolar

Ó Jesus amado concede-me a graça do perdão, sondas o meu coração

E verás que sou teu servo, humilde homem que vive a te clamar

Robert Thomaz

Você também pode gostar dessa poesia:

“Perdoa Jesus, perdoa meus pecados e ofensas”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.