CroPoesias – Poesias, Crônicas e Contos

Sonhos no deserto – poesia

deserto

VISITE MEU BLOG

Sonhos. Passamos boa parte de nossa vida a sonhar, a mergulhar inconscientemente nesse universo obscuro de nossa mente, parte onde temos total liberdade para viver aventuras nunca vividas. Viver doces aventuras, mas também horripilantes pesadelos.

O mundo onírico é um mundo à parte, um mundo onde a lei não nos pertence, embora possamos fazer praticamente tudo sem sermos penalizados. Mas é um mundo que não nos conduzimos, mas somos conduzidos pelos acontecimentos. Nesse espaço “ilegal” muitas vezes somos vítimas de ansiedades e sofrimentos que vivenciamos na realidade, e, infelizmente, por deliberação de nossa memória, ela leva-os para esse espaço da ilegalidade, tornando “real” aquilo que não desejamos, fazendo-nos sofrer mais uma vez.

Agora imagine sonhar no deserto. Que sonhos poderíamos sonhar num lugar inóspito, quente, desconfortável? As agruras do deserto certamente influenciam a mente e o estado psicológico de quem caminha por dunas, sob sol radiante e desgastante.

Sonhos no deserto

Um anjo desceu pela escada de Jacó e fez-me adormecer profundamente

Em sonho levou-me ao deserto e lá me deixou sozinho, a caminhar

Eu andava devagar, sem rumo, subia e descia dunas, incessantemente

Porém em meu coração havia algo que me movia, um estranho arrojar

 

O vento, a sede, a solidão, e uma ansiedade faziam em mim um tormento

Algo me dizia que minha sede era de amor e que uma mulher me aguardava

Eu delirava, não podia ser outra coisa… sonho ou realidade, quanto desalento

Por dias e noites caminhei no deserto, melancólico, o que Jesus me reservava?

 

Reconhecia-me como pecador, cansado, sob o sol escaldante e abrasador

Em prantos caí de joelhos, ergui meu olhar taciturno para o azul celestial

Supliquei por misericórdia e, subitamente, surgiu a imagem de um amor

Em vestes esvoaçantes esperava-me num oásis, que lugar tão fenomenal

 

E por dias e noites no deserto vivenciei com minha linda doces sonhos de amor

Oh mulher de olhos sedutores, de sorriso cintilante, não saia de minha presença

Cujos sentimentos me encantam e fazem-me docemente levitar nas ondas de calor

Desse deserto maçante no qual Jesus concedeu-me teu amor como sentença

Robert Thomaz

Você também pode gostar dessa poesia:

“Defensores do Rei”

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.