CroPoesias – Poesias, Crônicas e Contos

Desejo e razão – poesia

desejo

VISITE MEU

Desejo e razão andam em caminhos distintos, mas às vezes aportam em corações que se unem. Então, o amor se digladia com a emoção e o que era calmaria vira tempestade, sem indício de término ou brandura.

Viver sobre desejos e fantasias nunca levou o amor a portos seguros e agradáveis. A aflição de espírito disfarçada de paixão, de amor ou sentimento similar é receita para a enfermidade ou esfacelamento de um relacionamento. A razão deve trilhar o caminho e as rédeas do relacionamento senão ele não terá longevidade e nem estará refratário a crises e ataques externos.

Desejo e razão

Não, não posso voltar, estou num caminho sem volta, o caminho do Senhor

Você foi a única e linda mulher cujo o amor encantou-me o coração

Você era o desejo e eu, a razão, mas mesmo assim vivíamos em pleno amor

Enamorados desde o raiar do dia em beijos e carinhos éramos pura tensão

 

Passeávamos pelas ruas de mãos dadas e as pessoas se admiravam de nossa união

Bela e formosa aos olhos alheios, não existia ciúme em meu íntimo amoroso

Trocávamos risos e sorrisos devido à felicidade que nos jorrava em grande vazão

Por nossos corações unidos pela Criação, e no beijar não existia nada de indecoroso

 

No encontrar de nossos corpos o desejo era verdadeiro veneno

Fazia-nos ferver e se confrontava com a razão na busca da felicidade

Mas como a benção e a maldição não podem viver juntas em ato obsceno

Foi-se o nosso intento de vivermos nosso grande e doce amor pela eternidade

 

Assim deve ser e não podemos mudar a natureza das coisas na existência

Desejo e razão infelizmente não podem se misturar no mesmo caldeirão

A pureza será maculada pela sujeira se insistirem em viver em desobediência

Devido a isso, por sermos desejo e razão devemos viver em total separação

Robert Thomaz

Você também pode gostar dessa poesia:

“Medos meus também são os medos dela”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.