CroPoesias – Poesias, Crônicas e Contos

Renuncio a essa carne corrupta! – poesia

carne

VISITE MEU BLOG

Poucos sabem o motivo de pecarmos, de desobedecermos aos mandamentos e estatutos de Deus e Jesus Cristo. Pecamos por temos em nosso sangue a maldição do pecado cometido por Adão e Eva.

Mesmo que você tente resistir torna-se muitíssimo difícil de não pecar porque o diabo era um anjo, conhece tudo que os céus fazem e conhece muito bem a nossa engenharia divina. Ele sabe nossas fraquezas e se uma não lhe atendeu no seu propósito de nos humilhar diante de Deus, na execução do pecado, ele usa outra e vai testando até conseguir seu intento.

Renuncio ao pecado! Parece fácil, mas não é. Renunciar ao pecado exige muito além de força de vontade carnal, de não cometer o pecado original. O pecado além de estar presente na carne, no sangue, também está no espírito.

Renuncio a essa carne corrupta!

I renounce this corrupt flesh!

Carne podre, carne corrupta, obriga-me a fazer o que não quero, que sofrimento

Meu desejo não é esse, faz-me sofrer nesse ensejo, que conduz mais à corrupção

Sofro que nem um cão por desejo que me faz pecador apesar de meu discernimento

Ai que dor insuportável, flechas inflamadas tocam minha alma, tocam meu coração

 

Eu não quero, eu te renuncio, oro em clamor ao meu Pai para retirar esse espinho

Eu te suplico Pai Celestial, eu não quero pecar contra ti, não quero te ofender

Sou fraco, entenda minha fraqueza, faço o que não quero, me tire desse descaminho

Sou teu servo meu Deus, retira de mim essa tentação, para não vir o teu repreender

 

Renuncio a essa carne corrupta, mas é o sangue de Lameque que corre em mim

Renuncio a essa carne que se apodrece pelo pecado, carne corrupta que fede

É dor, é sofrimento, é agonia, que me fazem sofrer, é herança do sangue de Caim

Então Pai, em nome de Jesus, afasta de mim esse cálice, sou eu que assim te pede

 

Tira de mim essa tentação, tentação que me fere, humilha, sangra meu interior

Faz-me indigno diante de ti meu Pai amado, tu que me concede tanta graça

Tu que sondas meu coração e sabes que isso não desejo, mas é mal tão superior

Então volto a orar junto de teus pés, para que me livres dessa terrível desgraça

Robert Thomaz

Você também pode gostar dessa poesia:

“Meu coração a ti pertence meu Senhor”

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.